Home > Empreendedorismo > ESFORÇO COLETIVO BUSCA RECURSOS PARA CONCLUIR PONTE

ESFORÇO COLETIVO BUSCA RECURSOS PARA CONCLUIR PONTE

Obra que ligará regiões precisa de meio milhão para ser concluída

Uma obra que, ao ser concluída, tornaria em realidade um sonho antigo da região, está 96% conclusa. Trata-se da ponte sobre o Rio da Várzea, entre os municípios de Liberato Salzano e Rodeio Bonito. Na manhã da última terça 25, aconteceu na sede da Fundaluz em Pinhal, uma importante audiência pública com o objetivo de definir estratégias para a conclusão da mesma.

O evento foi promovido em conjunto pela Amzop, Grupo Creluz e os municípios ribeirinhos (Rodeio Bonito e Liberato Salzano) e contou com grande presença de autoridades, lideranças e a população em geral, que será a grande beneficiada por esta importante obra.

A ponte representa um investimento superior a R$ 6 milhões e necessita de um aditivo para ser finalizada, recurso este que foi negado pelo Governo Federal. Num primeiro momento o Ministério acenou com a possibilidade, mas quando o departamento jurídico foi ouvido, ocorreu a negativa. Então são necessários R$ 522 mil para a obra ser concluída e entregue a região. Esse montante será dividido entre os municípios e o Grupo Creluz.

Na atualidade, os municípios de Rodeio Bonito e Liberato Salzano estão isolados, já que a balsa que fazia a travessia pelo Rio da Várzea foi interditada em definitivo pela Marinha do Brasil, fato este que agrava ainda mais a situação e torna a decisão de concluir a obra ainda mais importante.

Ainda durante a audiência pública as autoridades lançaram uma estimativa que a obra deverá ser concluída em no máximo 90 dias. O presidente do Grupo Creluz, Elemar Battisti, fez uma apresentação de todo o histórico da ponte, desde o nascimento da iniciativa como ponte barragem até o estágio atual.

Além do projeto para sua construção e os levantamentos hidrológicos, geológicos e ambientais, a Cooperativa também está doando para os municípios de Rodeio Bonito e Liberato Salzano 61,5 mil metros quadrados de área, onde serão abertos os acessos para a ponte.

“Acreditamos que estamos dando uma importante contribuição para o desenvolvimento regional, fruto de uma grande união entre municípios e Cooperativa, esta é uma das mais importantes obras dos últimos tempos para o norte gaúcho”, resume Battisti.

O prefeito Gilson de Carli, de Liberato Salzano, fez uma retrospectiva de todo o esforço que foi necessário, desde o pagamento e a liberação das licenças ambientais, empenho pelo governo federal e a liberação das parcelas que foram dando andamento à obra.

Reclamou da falta de apoio de alguns parlamentares ligados com a região, além de setores do governo estadual, que além de não contribuírem com a obra, ainda colocaram alguns empecilhos que atrasaram o andamento da mesma.

“Mas estarmos prefeitos pelo simples fato de ocupar o cargo em nada serviria para melhorar a vida de nossas comunidades. Precisamos levantar mais cedo e dormir mais tarde, nos estressarmos, deixarmos de lado um pouco as nossas famílias, para dar nossa parcela de contribuição. Deixei, inclusive, de investir em outros setores em meu município, vendi parte do patrimônio para pagar as licenças. Não estou pensando apenas em Liberato Salzano, mas sim na região como um todo. Estou aqui para pedir a ajuda de todos. Falta muito pouco para que possamos utilizar a ponte” disse ele.

O presidente da Amzop, prefeito de Ametista do Sul, Gilmar das Silva, salientou que este modelo de audiência pública poderá inclusive ser adotado pela Amzop para solucionar outras demandas e necessidades da região.

O presidente eleito da Famurs, prefeito de Palmeira das Missões, Eduardo Russomano Freire, também participou do evento, além de várias lideranças e autoridades regionais e estaduais, também estiveram presentes os Conselhos de Administração, Ética e Fiscal do Grupo Creluz, além da auditoria externa da Dickel & Mapffi.

A partir de agora caberá à Amzop pleitear junto a cada município que, de alguma forma será beneficiado com a obra da ponte, a liberação de verbas, as quais poderão ser pagas em cinco parcelas, com vencimento no dia 10 de cada mês.

 

AMZOP.